Após batalha contra AVC, radialista Aloísio Ovelha morre aos 55 anos

No dia 11 de junho de 2017, Ovelha sofreu um AVC isquêmico, e ficou internado por meses em um hospital

Por lrosado - atualizado em 08/01/2019 as 15:27

O radialista Aloísio Ovelha, de 55 anos, da Rede Gazeta, faleceu na manhã desta terça-feira (08), no Hospital Meridional, em Cariacica. A informação foi confirmada pela esposa dele, Janine Gomes. Segundo a família, Aloísio não resistiu a uma infecção generalizada.

De acordo com a cunhada do radialista, Anita Matos, Aloísio estava sofrendo com um quadro de infecção e pneumonia. “Ele já estava acamado, debilitado, o organismo não tem muita resistência e um quadro de infecção rapidamente se generaliza”, explicou.

No mês de maio desse ano, Ovelha completaria 30 anos trabalhando na Rede Gazeta. O radialista deixa esposa e quatro filhos.

O velório está marcado para acontecer a partir das 17 horas desta terça-feira (8), na Loja Maçônica Retidão e Justiça, em Guarapari. Já o sepultamento, está previsto para às 12h30 desta quarta-feira (9), no cemitério Parque Paraíso, também em Guarapari.

SAÚDE

No dia 11 de junho de 2017, Ovelha sofreu um AVC isquêmico em casa e foi levado para o Hospital Meridional, em Cariacica. Em seguida, sofreu outro AVC, como explica o gerente de Rádio da Rede Gazeta, Renan Effgen Faé.

“Em junho de 2017, o que levou o Ovelha para o hospital foi um AVC isquêmico, que é a obstrução e a falta de sangue. Ele entrou dentro do hospital consciente. Lá, ao ser internado, veio o derradeiro, que foi o hemorrágico, que comprometeu um lado do cérebro dele todo. Daí em diante, ele ficou em um estado vegetativo”, comentou Renan.

Quatro meses depois, o apresentador do programa Show da Manhã, da Rádio Gazeta AM, deixou a UTI, tinha o quadro considerado estável, mas ainda não tinha voltado a falar ou a abrir os olhos. Na ocasião, Janine comentou como estava o estado de saúde dele.

“Clinicamente ele está bem, mas segue do mesmo jeito. É como se estivesse dormindo, não responde a estímulo quase nenhum. A sedação foi retirada faz tempo, ele deixou a UTI há uns dois meses e já está no quarto. Ainda não fala, mas tem reações automáticas. Quando ele faz fisioterapia, por exemplo, e sente dor na perna, ele se contorce, faz careta. Foi uma lesão muito grave, então a recuperação é lenta demais”, afirmou a esposa do radialista, em 2017.

Carreira na Rede Gazeta

Além de comandar o Show da Manhã, na Gazeta AM, o radialista apresentava o Plantão Litoral, na Rádio Litoral FM, ao lado de Rubinho Trindade e Marla Bermudes. Muito querido pelos colegas de profissão, o comunicador sempre foi descrito como pessoa do bem e muito divertida.

“O Ovelha era um profissional de mão cheia. Tanto que está tendo muita comoção pela morte dele. Todos os ex-colegas estão falando sobre ele na Gazeta AM. Ele era versátil, respeitado, um grande profissional. Do ponto de vista humano, tudo para ele estava bom, um cara da paz, do bem, humano. O jargão dele era ‘Maravilha, maravilha’. Tudo estava uma maravilha”, relatou Renan, após saber da perda do amigo e colega de trabalho.

 

Opine

Envie o seu comentário para a Rede Gazeta. A sua participação é muito importante para nós.