Muquiçaba é a campeã da Taça EDP das Comunidades 2018

Competição envolveu 32 comunidades em três meses

Por Comunicação - atualizado em 11/06/2018 as 13:31

Foto: Larissa Passos

Foto: Larissa Passos

Competição envolveu 32 comunidades em três meses

Três meses de competições com envolvimento de mais de 5 mil atletas de 32 comunidades. E após sete partidas, Muquiçaba levanta o troféu da Taca EDP das Comunidades. Por 3 a 2, a equipe da Cidade Saúde venceu São Pedro, representante da Capital capixaba. A terceira colocação ficou com o time de Santa Rita, Vila Velha.

A final foi marcada pela participação das torcidas e representantes da Rede Gazeta, da EDP e da Central das Comunidades (CDC).

Para o diretor de Mercado Anunciante da Rede Gazeta, Márcio Chagas, o esporte proporciona a união, o que aconteceu durante o torneio. “A iniciativa deu vez e voz aos bairros e aproximou a empresa deles. Acredito que a Taça veio para ficar”, diz.

O diretor-geral da EDP, João Brito, avaliou o projeto como positivo. “Futebol une as pessoas e a competição cumpriu esse papel. Viemos para somar com as ações de conscientização sobre o uso consciente de energia, juntamente com o esporte tudo isso aconteceu.”

Marcelo Siqueira, diretor-geral da CDC, avalia que o projeto é um marco no esporte capixaba. “Reunimos jovens e futuras revelações, além das comunidades, que estão em harmonia. Cumprimos nosso papel social e esportivo. Parabéns a todos.”

Segundo o diretor esportivo da CDC, Eduardo Alves, a participação das comunidades foi significativa. Foram 119 inscrições e mais de 50 mil envolvidos diretamente ou diretamente. “Encerramos essa iniciativa muito satisfeitos. Estamos felizes pela parceira da Rede Gazeta e da EDP, sem os quais não seria possível executar a Taça, claro, já estamos trabalhando para que 2019 o evento seja um sucesso, assim como foi o de 2018”, avalia.

Ele ressalta que os jogos foram disputados em 17 campos de futebol, incluindo Normília da Cunha, Santa Rita, Araçás, Ilha das Flores, Itapoã, Andorinhas, Itararé, São Pedro, Vitória, Praia de Carapebus, Feu Rosa, Taquara, Central Carapina, Porto de Santana, Nova Rosa da Penha, Padre Gabriel e Caieiras Velha.

Foto: Larissa Passos

Foto: Larissa Passos

Foram 119 inscrições e mais de 50 mil envolvidos diretamente ou diretamente

Revelando craques

Os jogos da Taça foram incentivos para os atletas e serviu para unir os bairros, além de revelar futuros craques. O artilheiro da categoria masculina, Riquelme Neres, está entre os destaques.

Sua mãe, Elisangela Neres, explica que desde pequeno ele se interessa pelo futebol, que se transformou numa paixão. “Quando ele tinha 6 anos começou a ir aos jogos com o pai dele e a partir daí não parou de jogar”, revela.

Riquelme, que acabou de completar 16 anos e comemorou com o time do bairro vestindo a camisa da taça (o tema da festa foi “Taça EDP das Comunidades”), parte para uma seletiva em breve. “Fui selecionado para uma peneira no time do Bahia”, comemora.

Outro que brilha pelos campos é o polivalente Gabriel Calais, vice artilheiro da competição e campeão pelo Muquiçaba. “Treinamos muito e nos dedicamos para levar esse troféu”, contou o atleta que já participou de processos seletivos em grandes times brasileiros.

O técnico da seleção campeã, Ebenézer Ramalhete, comemora. “Eles se dedicaram muito. Foi um momento de entrega de todos muito importante. Estou orgulhoso.”

Foto: Larissa Passos

Foto: Larissa Passos

Muquicaba levou a melhor por 3 a 0, garantindo o título

Finais femininas

O quadrangular feminino também foi definido neste domingo (10). A partida foi entre São Pedro e Muquicaba, que levou a melhor por 3 a 0, garantindo o título. A terceira colocação ficou com Santa Rita.

Premiações

Uma das novidades para a edição de 2018 foi a premiação para a melhor torcida. E quem faturou foi Praia Grande, que cumpriu todos os critérios da avaliação e faturou o prêmio de 5 mil reais para a realização de uma confraternização.

Para a líder da torcida e também representante do coletivo de Mulheres de Fundão, Sônia Damasceno, a região foi presenteada pelo projeto. “Com a chegada da Taça EDP, nossa comunidade ficou mais unida. Havia pessoas que nem se falavam e voltaram a ter contato. Além disso, com a ajuda de todos, providenciamos documentos para os jovens que não tinham para participar do torneio, sem falar de que quem não podia comparecer às competições, ajudava com o lanche ou no suco dos meninos”, revelou.

Artilharia

Os destaques da Taça EDP das Comunidades foram reconhecidos. Riquelme Neres, do time de São Pedro, que fez seis gols, e Rayssa Garcia, de Muquiçaba, que marcou dois gols, foram os artilheiros da competição.

Já os goleiros menos vazados foram Joaquim dos Santos, de São Pedro, que levou apenas um gol, e Luana Cristóvão, que não deixou passar nenhum.

União

Parcerias institucionais foram prioritárias na competição. A Universidade de Vila Velha (UVV) colaborou com a equipe técnica e da Polícia Civil participou com o Papo de Responsa. A iniciativa apresentou excelentes resultados, com mais de 3 mil estudantes sendo alcançados em apenas três meses de competições esportivas.

O projeto, implantado no Espírito Santo em setembro de 2013 pela Polícia Civil, faz parte das ações sociais propostas pela Taça EDP e atendeu José de Anchieta, Ponta da Fruta, São Torquato, Araçás, Ataíde, Coqueiral de Itaparica, Santa Rita, Central Carapina, Feu Rosa e Vila Nova de Colares.

Opine

Envie o seu comentário para a Rede Gazeta. A sua participação é muito importante para nós.