Capitães da PM e do Corpo de Bombeiros visitam a Rede Gazeta

Eles tiveram a oportunidade de conhecer as instalações da empresa

Por Comunicação - atualizado em 08/06/2018 as 13:43

IMG_5408Um grupo de 43 capitães da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros visitou a Rede Gazeta nesta sexta-feira (8). Além de conhecer as instalações, eles tiveram palestras com jornalistas da empresa. O âncora do programa CBN Cotidiano, Fábio Botacin; o editor-chefe da TV Gazeta, André Junqueira; e o editor de produção da Redação Multimídia Geraldo Nascimento apresentam aos militares o processo de produção jornalística.

André Junqueira enfatizou o compromisso da imprensa com a população. “Cada telejornal tem seu perfil, mas se tem uma área que está presente em todos eles é a segurança. É importante sabermos nos posicionar de forma responsável e ética”, destaca.Lourencini

O capitão Rodrigo Lourencini aproveitou a oportunidade para dar sugestões. “Nosso policial é diferenciado, percebemos na prática em relação ao respeito aos direitos humanos. Vemos que em muitas notícias sobre crimes que a polícia é ouvida, mas há outros agentes importantes na sociedade envolvidos que também podem entrar no debate”, sugere.

IMG_5388A capitã Helena Cristina Stein defende que outras visitas como essa sejam feitas. “Este contato contribui para abrir o canal de diálogo entre as instituições. É preciso gerar empatia e compartilhar experiências. Isso só contribui para a sociedade e ainda pode melhorar”, afirma.

Produção jornalística

Geraldo Nascimento explicou que a partir das 4h30 há uma equipe responsável por receber sugestões de pauta para as produções do dia na Rede Gazeta. Ele também frisa que os diversos veículos de comunicação da Rede Gazeta colaboram entre si no processo de apuração, para que a informação chegue completa ao público. “Até meia-noite temos pessoas preparadas para receber informações”, esclarece.IMG_5409

O editor de produção falou também sobre o desafio de lidar com notícias falsas disseminadas pela internet e sobre o cuidado para que checar os fatos diariamente. “Criamos até uma ferramenta no Gazeta Online, chamada ‘Passando a Limpo’, que explica se uma informação que chegou por mensagem é verdadeira ou falsa”, detalha.

O capitão Pablo Angely Marques Coimbra diz que passou a ter uma nova visão da imprensa depois da experiência. “Percebi que há muita técnica no funcionamento dos jornais e são necessários muitos processos antes chegar à notícia. Neste ponto, o trabalho do jornalista se aproxima com o nosso. Também desenvolvemos processos complexos com o objetivo de prestar um bom serviço à sociedade”, conclui.

Opine

Envie o seu comentário para a Rede Gazeta. A sua participação é muito importante para nós.